Brasil | São Paulo

Sexta-feira, 12 de Outubro de 2018

Após 10 anos do Caso Eloá, Justiça condena Estado de SP a indenizar Nayara em R$ 150 mil

A Justiça de São Paulo condenou, neste ano, o governo do estado a pagar indenização de R$ 150 mil por danos morais, materiais e estéticos a Nayara Rodrigues da Silva, de 25 anos, sobrevivente do sequestro que terminou com a morte da sua melhor amiga, Eloá Cristina da Silva Pimentel, em outubro de 2008, em Santo André, no ABC Paulista.

O entendimento do Tribunal de Justiça (TJ) é de que a Polícia Militar (PM) colocou Nayara em risco. Ela foi baleada (saiba mais abaixo). Como cabe recurso, esse valor ainda não foi pago a estudante. O caso Eloá completa dez anos neste próximo sábado (13).

As duas vítimas tinham 15 anos à época quando foram feitas reféns por Lindemberg Alves Fernandes num apartamento em 13 de outubro de 2008. O entregador de pizzas estava armado e queria reatar o romance com Eloá, sua ex-namorada. Ele tinha 22 anos na ocasião.

Nayara chegou a ser solta por Lindemberg em 14 de outubro de 2008, mas dois dias depois voltou ao cativeiro por orientação da Polícia Militar (PM) para tentar resgatar Eloá. Não deu certo e ela acabou sendo feita novamente refém juntamente com a amiga.

O Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) explodiu uma bomba e invadiu o local no dia 17 de outubro de 2008, após escutar o que seria um tiro, prendendo Lindemberg. Na verdade era o barulho de uma mesa. Antes da entrada da PM, o sequestrador ainda conseguiu balear o rosto de Nayara e deu dois tiros em Eloá.

G1

COMPARTILHE

COMENTÁRIOS

Deixe seu comentário

* Ao enviar o comentário você aceita os termos de uso do site.