Internacionais | Mundo

Quinta-feira, 12 de Outubro de 2017

Autoridades negociam retirada de civis antes de ofensiva final a Raqa, na Síria

Autoridades locais e tribais negociam a saída de milhares de civis da cidade síria de Raqa antes da ofensiva final das Forças Democráticas Sírias (FDS), aliança curdo-árabe apoiada pela coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos e que já controla 90% da cidade, contra o grupo Estado Islâmico (EI).

"O conselho civil de Raqa iniciou negociações para determinar a melhor forma de permitir que os civis presos entre os combatentes do Daesh (acrônimo árabe do EI) abandonem a cidade", afirmaram as FDS em um comunicado.

Este conselho é um Executivo local no exílio, instalado ao norte de Raqa, que é considerada a "capital" do Estado Islâmico na Síria.

As FDS afirmaram, no entanto, que aqueles que abandonarem Raqa depois de lutarem pelo EI serão entregues às autoridades locais e levados à justiça.

A ONU calcula que 8.000 civis permanecem na cidade de Raqa. As FDS afirmam que alguns deles estão sendo utilizados como escudos humanos pelos combatentes do EI. As FDS calculam que entre 600 e 700 combatentes do EI continuam ativos em Raqa, de onde vários deles tentaram sair na terça-feira, segundo uma fonte da aliança.

 

Homem que foi usado pelo Estado Islâmico como escudo humano junto com sua família segura bebê recém-nascido após fugir do centro de Raqa, na Síria (Foto: Bulent Kilic / AFP )Homem que foi usado pelo Estado Islâmico como escudo humano junto com sua família segura bebê recém-nascido após fugir do centro de Raqa, na Síria (Foto: Bulent Kilic / AFP )Homem que foi usado pelo Estado Islâmico como escudo humano junto com sua família segura bebê recém-nascido após fugir do centro de Raqa, na Síria (Foto: Bulent Kilic / AFP )

G1

COMPARTILHE

COMENTÁRIOS

Deixe seu comentário

* Ao enviar o comentário você aceita os termos de uso do site.