Internacionais | Espião

Sexta-feira, 09 de Novembro de 2018

Coronel austríaco reformado é suspeito de ter espionado para Rússia

Um coronel reformado do Exército austríaco é suspeito de ter espionado para a Rússia durante décadas, anunciou o chanceler da Áustria, Sebastian Kurz, nesta sexta-feira (9).

O oficial teria começado a trabalhar com os serviços de Inteligência russos na década de 1990 e continuou até este ano.

A ministra austríaca das Relações Exteriores, Karin Kneissl, convocou o embaixador russo em Viena e anulou uma viagem prevista para a Rússia, acrescentou Kurz, anunciando que uma investigação foi aberta para tratar do caso.

Moscou rejeitou as acusações do governo austríaco e também convocou o embaixador da Áustria no país, Johannes Eigner.

Em outubro, a Holanda anunciou ter expulsado quatro espiões russos acusados de tentativa de pirataria da sede da Organização para a Proibição das Armas Químicas (OPAQ) em Haia.

Em entrevista coletiva, o ministro austríaco da Defesa austríaco, Mario Kunasek, do partido FPÖ, declarou que o caso saiu à luz "há umas semanas", graças a informações transmitidas por uma agência de Inteligência europeia.

A Áustria é um país neutro no coração da Europa Central e conta com a sede de várias organizações internacionais, como a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), a Organização de Países Exportadores de Petróleo (Opep) e a Organização para a Segurança e a Cooperação na Europa (OSCE).

Em março, a Áustria foi na contramão de seus sócios da UE, negando-se a expulsar diplomatas russos em plena crise pelo envenenamento, no Reino Unido, do ex-espião russo Serguei Skripal. Alegou que queria "manter abertos os canais de comunicação com a Rússia".

A presença do presidente russo, Vladimir Putin, no casamento da ministra austríaca das Relações Exteriores causou grande polêmica no país.

G1

COMPARTILHE

COMENTÁRIOS

Deixe seu comentário

* Ao enviar o comentário você aceita os termos de uso do site.