Notícias da Região | Crime

Sábado, 02 de Julho de 2022

Dono de bar baleado desabafa e critica soltura de guarda municipal: “Tenho 5 filhos, mas só ele pode trabalhar”

O dono de bar baleado no bairro Pilarzinho, em Curitiba, fez um desabafo e criticou a decisão da Justiça de soltar o guarda municipal. Em entrevista à Banda B, o homem lamentou o rápido período em que o atirador esteve preso e disse ter medo do que pode acontecer. Assis deixou a prisão na noite de sexta-feira (1).

Ele descreve que é pai de cinco filhos, mas que está impedido de trabalhar. Ele atualmente usa uma cadeira de rodas, enquanto espera avanço no tratamento.

“Olha o estado que eu fiquei e ele fica apenas dez dias preso? Eu vou ficar quantos dias em casa, sem poder sustentar minha família”, questiona.

O homem foi baleado na noite de 16 de agosto. Além dele, o guarda municipal atingiu Adriano Honorato Moraes, que morreu no local. De acordo com a Polícia Civil, a confusão teria começado após uma mulher ‘apontar o dedo’ para a companheira do atirador.

A vítima ferida conta que terá que entregar o bar na próxima semana e não sabe como vai tocar a vida. “Meus braços estão doloridos, mal consigo entrar no carro, hoje tomei seis vacinas e ainda recebo uma notícia dessas. Com a entrega do bar, eu estou desempregado. Já ele, vai para casa como se nada tivesse acontecido e ainda vai continuar recebendo salário, que é pago por todos nós. É muito triste saber que uma pessoa que deveria nos proteger fez isso”, lamenta.

Dentre os cinco filhos, a vítima é responsável pelo pagamento de pensão de três.

Defesa

De acordo com a defesa do guarda municipal, a decisão da justiça foi acertada, pois não existia qualquer elemento que pudesse justificar a prisão. “Ele mesmo, um dia após o fato, se apresentou espontaneamente perante a Delegacia de Homicídios de Curitiba e entregou a arma usada”, diz nota assinada pelos advogados.

Fonte: Banda B