Internacionais | Igreja Católica

Quinta-feira, 20 de Abril de 2017

Papa canonizará as crianças pastoras de Fátima em 13 de maio

O Papa Francisco anunciou nesta quinta-feira (20) que canonizará em 13 de maio duas das três crianças pastoras que afirmaram ter presenciado aparições da Virgem Maria em de Fátima, em Portugal, em 1917, segundo a France Presse. O milagre é reconhecido pela Igreja Católica.

A canonização de Jacinta e Francisco Martos marcará o centenário da "aparição". Francisco viajará nos dias 12 e 13 de maio a Fátima para a cerimônia de canonização, informou o papa durante uma reunião de cardeais.

Francisco (1908-1919) e Jacinta Marto (1910-1920), que com sua prima Lúcia, que foi freira e morreu em 2005, foram os protagonistas das aparições em Cova da Iria. Eles foram beatificados em 13 de maio de 2000 por João Paulo 2º, em Fátima, segundo a agência Efe.

As três crianças portuguesas asseguraram terem sido testemunhas das aparições de Nossa Senhora, que revelou os chamados três segredos de Fátima, divulgados por Lúcia. O processo de beatificação foi aberto pelo Papa Bento 16, em 2008. http://g1.globo.com/mundo/noticia/papa-canonizara-as-criancas-pastoras-de-fatima-em-13-de-maio.ghtml

Fiéis seguram foto das crianças que disseram ter visto a Virgem Maria, em Fátima, em Portugal, em 1917. Imagem da cerimônia que marcou os 90 anos da aparição  (Foto: Francisco Leong / AFP)
Fiéis seguram foto das crianças que disseram ter visto a Virgem Maria, em Fátima, em Portugal, em 1917. Imagem da cerimônia que marcou os 90 anos da aparição (Foto: Francisco Leong / AFP)

O primeiro segredo era a morte prematura de duas das crianças, e o segundo falava sobre o final da Primeira Guerra Mundial, o início da Segunda e o fim do comunismo.

A terceira parte, a que mais levantou especulações, foi revelada durante a última viagem de João Paulo 2º a Fátima, em 13 de maio de 2000, para beatificar Jacinta e Francisco.

 

O segredo previa o assassinato de um "bispo vestido de branco" enquanto atravessava uma grande cidade, o que a Igreja considera uma profecia do atentado sofrido por João Paulo 2º em 1981, quando foi baleado pelo terrorista turco Ali Agca.

G1

COMPARTILHE

COMENTÁRIOS

Deixe seu comentário