Brasil | Mato Grosso

Domingo, 16 de Julho de 2017

Queimadas estão proibidas até setembro nas áreas rurais

Começou neste sábado (15) em Mato Grosso o período em que é proibido fazer as chamadas queimadas controladas. O tempo seco e o vento na região só pioram uma situação que já é preocupante: o estado é o campeão nacional no número de focos de incêndio.

Nas plantações, ao lado da rodovia, no meio da cidade, 6,5 mil incêndios já foram registrados neste ano em Mato Grosso. Nesta semana, um grande incêndio atingiu o Parque Estadual da Gruta da Lagoa Azul, em Nobres, a 150 quilômetros de Cuiabá. Foram vários dias para controlar as chamas.

E junto às rodovias, o que não falta é mato pegando fogo. “O carro de passeio, é sempre tomar muito cuidado com a visibilidade. Quando ele estiver próximo a um princípio de incêndio, ele observe e não jogue esse veículo seu para a faixa contrária, porque pode ser que ele, no momento em que ele está tentando fugir desse princípio de incêndio, pode causar um outro acidente, que é o acidente frontal”, diz o gerente de operações da rodovia, Wilson Ferreira.

Não é à toa que até o fim de setembro as queimadas estejam proibidas. Quem não respeitar a lei comete crime ambiental, sujeito à multa e prisão.

A proibição que começa neste sábado é para queimadas nas áreas rurais, porque nas áreas urbanas é proibido tocar fogo no mato o ano inteiro. Apesar disso, a equipe do Jornal Nacional encontra fogo alto e muita fumaça. Além de tudo, uma fumaça que é tóxica, mais um risco para os moradores do entorno.

O governo de Mato Grosso planeja investir, em 2017, R$ 3 milhões para reduzir o número de queimadas. O valor é sete vezes maior do que há três anos. Mas o que ajuda mesmo é cada um fazer a sua parte. “Com certeza, o homem é o maior responsável pelos incêndios florestais”, afirma o tenente-coronel Paulo Barroso, do Corpo de Bombeiros de Mato Grosso.

G1

COMPARTILHE

COMENTÁRIOS

Deixe seu comentário

* Ao enviar o comentário você aceita os termos de uso do site.